sábado, 22 de setembro de 2007

Datsun 120Y - Veios de transmissão, falanges e muita confusão...

Hoje a parte da manhã foi dedicada ao 120Y do André. O carro foi comprado há uns meses e desde logo acusou uma vibração na transmissão. A barreira dos 80 km´s/h parecia a entrada em velocidade "Warp", pois todo o carro estremecia de alto a baixo com uma intensidade que deixava adivinhar que o problema seria o veio de transmissão empenado ou pior ainda...Assim que metemos a traseira no "ar", foi só engrenar a 4ª e verificar o que se iria passar...O veio de transmissão, enquanto rodava, fazia um movimento de oscilação de aproximadamente 5mm para cima e para baixo e o conta-quilómetros marcava apenas 20km/h, imaginem agora a 80...Por termos duvidas em relação ás cruzetas, óptamos por trocar de veio e foi aqui que começaram as novidades...O veio que tinhamos para trocar era de uma carrinha SunnyB310, e apesar de ser igual, teimava em não encaixar na falange do diferencial. Após inspeccionarmos tudo com atenção, descobrimos que a falange tinha sido modificada (á direita na foto), e não deixava que o veio encostasse como devia. Fomos buscar a falange da B310 e descobrimos que as estrias eram mais largas. E ainda dizem que é tudo igual... A solução foi encontrada num diferencial de um 1200 que andava por ali perto, mas na hora de montar, descobrimos isto: As estrias são iguais, mas a furação que segura o veio é diferente. Dois a zero para o Datsun...Perto da hora do almoço o panorama era este: três falanges diferentes, dois veios que não serviam, um carro desarmado e uma solução que não aparecia. Para ajudar á festa, os veios de 1200 ( que eu tenho a certeza que tenho algures...) estavam tão bem guardados que não os encontramos em lado nenhum, e precisavamos de um... Parecia dificil de resolver, mas não foi. Bastou ligar para o meu irmão (maniaco dos 1200 ???) e pedir um emprestado para exprimentar. Resumindo: Um veio de um 1200 com a falange de um 1200 foi quanto bastou para eliminar a tão indesejada sensação "Warp". Apesar de ter um rolamento a "cantar", o diferencial estava agora muito mais sossegado, e o carro já começava a parecer um Datsun, "pianinho" sem "tremeliques"...
Para já, esta foi a solução, mas brevemente vamos reparar o diferencial como deve ser e corrigir todas as anomalias que possam existir.
Há várias lições a tirar deste dia: Primeiro é preciso gostar destes carros (antigos) para os arranjar em condições, caso contrário estamos a "atamancar"; Segundo: lá por serem todos Datsun, não quer dizer que seja tudo igual entre todos (sinceramente, eu tambem achava que dava tudo uns nos outros...) e terceiro: é nestas alturas que verificamos que todas aquelas peças velhas e ferrugentas que guardamos teimosamente no sótão, servem para para alguma coisa..., nem que seja para desenrascar alguem, que tal como nós, teima em ir mantendo o "velhinho" na estrada...
Boas curvas para o André e obrigado ao Sérgio pelo veio do 1200.
RT



terça-feira, 18 de setembro de 2007

Pequenos, mas com grandes vontades...

Um automóvel pequeno, é quase sempre sinónimo de automóvel limitado ou fraco, mas por vezes, surgem pessoas que teimam em mostrar ao mundo que dos fracos tambem reza a história. Ora vejam...Pequenito, mas cheio de "musculos"...
Grande??? Não basta sê-lo, há que parecê-lo...
Tambem os há multifacetados...
...cheios de acessórios uteis e exclusivos...
...e capazes de passar por cima de qualquer situação...
...nunca ficando atolados...

...e sempre com um aspecto de carro de corridas...
...do tipo "Wacky Racers"...
...apelando sempre ao uso de combustiveis ecológicos...
...para superar as amarguras do trânsito caótico das cidades...
...mantendo sempre um sorrisso e o aspecto de um verdadeiro automóvel.
Pequenos grandes carros..., que seria de nós sem eles???

RT




terça-feira, 11 de setembro de 2007

Mini Moke - O Renascimento

Foi em 1987 que este Mini Moke 1000 viu a rua pela primeira vez. Originalmente pintado de preto, com capota e assentos brancos, hoje vive com a esperança de voltar a rolar por essas estradas fora. Vinha todo montado e a unica peça que faltava era a capota completa, que entretanto já foi substituida por uma nova, mas desta vez em material preto. O Moke tem sido o patinho feio da C.C.G, cedendo sempre a sua vez em prol de outros carros que por aqui vão passando, já lá vão mais de dois anos..., talvez seja desta!!!Sem podres, a carroceria vai sofrer algumas alterações, sobretudo nos farolins traseiros e pára-choques...
O cor preta tambem vai dar lugar a outra e as jantes serão umas "Cobra" de 12 x 6" polidas...
Ideias são mais que muitas e vontade tambem, resta saber se orçamento aguenta as duas coisas...Sempre que houver novidades, vocês serão os primeiros a saber. Go Moke...
RT