sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Rover P4 60 - A por Portugal no mundo...

Boa noite. Já é oficial. O Rover P4 60 do meu pai já consta na lista mundial de modelos conhecidos da marca, sendo o único representante Português inscrito. É um feito que só vem reconhecer todo o trabalho e dedicação que este clássico tem tido, e elevar o seu prestigio além fronteiras...
Correndo o risco de soar demasiado parcial, afirmo sem sombra de dúvida que é de facto uma grande honra pertencer a um clube tão exclusivo, não só pelo seu carácter elitista de mono-marca, mas sobretudo pelo numero bastante reduzido de exemplares conhecidos no mundo inteiro, o que faz deste Rover, um clássico realmente especial...
Convido-vos desta a forma a visitar : http://osmeusclassicos.blogspot.com/2010/11/rover-60-p4.html , onde poderão ler a façanha na primeira pessoa.

Parabéns ao Rover pelo seu reconhecimento internacional, e claro, aos meus pais por o estimarem tão bem, sem nunca terem desistido dele!

RT

BMW 323I - Quando a vontade supera a potência...

Boa noite. A máquina que hoje vos trago é algo diferente do habitual, mas enquadra-se perfeitamente no espírito irreverente e pseudo-desportivo da Classic Car Garage, que é quanto baste para contar a sua, por enquanto desanimadora, história...
...que começa com um belíssimo BMW E30 323I, que em virtude dos anos e do seu reduzido valor de usado, acabou por ser escolhido para viatura de iniciação a provas de rallye, ainda que amadoras.
O seu nível de preparação é bastante básico, mas ainda assim suficiente para agradar a quem lá se senta dentro sem receio de conduzir depressa. O roll-cage "home made" é robusto quanto baste e, apesar do motor ser o original sem grandes modificações, a adaptação de um auto-blocante veio contribuir para tornar as coisas ainda mais interessantes. Quatro disco de travão asseguram uma travagem eficaz para as exigências, e os bancos originais são o bastante para suportar os cintos de quatro apoios que nos seguram quando as coisas correm mal...
..mas que apesar do esforço, não são o suficiente para evitar tudo. A ultima "prova" do 323 foi a mítica "estrada do rio", mas por não haver carro 00 para verificar o percurso, um imprevisível braço de rio (sim..., braço de rio...) acabou por transformar o BM numa espécie de submarino a jacto. A velocidade que levava não o deixou parar a tempo de evitar ficar submerso, com as devidas consequências que isso tem para o motor e sistema eléctrico. É o que faz ter uma estrada tão perto do rio, que por vezes sobe demasiado a cota em virtude das chuvas ou barragens a jusante. Agora é tentar por o motor a trabalhar, e se alguma vez chegar a fazer fumo, avisar o condutor/piloto que a sua vontade é louvável, mas que nunca deve superar a potência...
Vamos aguardar e ver no que dá...
RT

terça-feira, 9 de novembro de 2010

C.C.G. - O regresso á terra...

Bom dia, apesar de chuvoso, frio, e de ser o ultimo das minhas férias...
O blog teve quase um mês parado, e desta vez apenas por inércia minha, e um pouco por falta de temas interessantes também. Os trabalhos não foram todos clássicos, e acabei por deixar andar...
Claro que ainda assim existiram assuntos interessantes, embora, e sem saber bem como e porquê, estejam quase sempre relaccionado com jantes...
Esta OZ de 6 polegadas foi fabricada em 1973, e apesar de nunca ter sido usada, nem para montar um pneu, há já longos anos que prestava serviço como "enrolador de mangueira" ali para os lados do Magoito, em casa de um amigo de família. Já sabia da sua existência, mas nunca cheguei a acreditar que um dia a teria em minha casa...
O "António dos pneus" ficou sem enrolador e uma família de pássaros ficou sem ninho, mas por um bom motivo. Esta jante vai engrossar o acervo da minha colecção de jantes de Mini, que vou um dia tentar expor quando tiver um espaço adequado para o efeito. Até lá é só ir juntando...
A titulo de curiosidade, e depois de ter conjecturado bastante acerca de como é que alguém pode ter uma jante tão bonita na parede só para enrolar a mangueira, mostro-vos o meu próprio exemplo: Uma Dunlop D1 de 13 pol. para Ford Escort, com tampa e tudo...
É..., pela boca ia morrendo o peixe...
Entretanto também decidi finalmente usar outras jantes no Corsa (???), e mais uma vez...
...foi num instante que a garagem ficou cheia de jantes e pneus por todo o lado. As do clio S brancas já têm os pneus de neve, a pensar unicamente nas viagens diárias que o carro faz para os lados da Castanheira de pêra, que acredito ficar em breve coberta do habitual manto branco de neve e gelo.
As férias parecem sempre suficientes para tratar de tudo e mais alguma coisa, mas é realmente espantoso como os dias desaparecem sem darmos conta. Ainda assim foram de facto preciosas pois consegui tratar de alguns assuntos atrasados e, claro..., de passar bons momentos com a família, especialmente com o meu pequenito Miguel.

Obrigado ao Sr. "António dos pneus", que além de amigo de muito longa data, se disponibilizou para abdicar de um objecto útil em prol de um gosto que, por vezes é tão difícil de explicar e entender...

Obrigado.

RT