segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Mini 1000 - Travões e rolamentos traseiros.

Bom dia. Como já devem daber, o meu tempo disponivel para estes trabalhos não assim tanto como eu gostaria, pelo que por vezes pode demorar um bocado até aparecer um post novo. Apesar de tudo, por vezes lá consigo rentabilizar o meu tempo de maneira a conseguir mais uma reportagem que merece o devido destaque aqui na C.C.G.
Como se lembram, está cá um Mini 1000 que precisa de alguns cuidados, sobretudo nos travões, rolamentos de roda e suspenção. Hoje foi o dia dos travões e rolamentos traseiros, e uma vez que ainda não tinha nada publicado sobre o assunto, resolvi fazer um post detalhado das operações necessárias para a reparação dos mesmos. Espero que possa ser util para todos os que me têm pedido ajuda sobre este assunto.
Aqui está ele...
...já na mesa de operações. As condições ainda não são as melhores, mas o gosto por estes "carrinhos" compensa tudo, e alem do mais, tráz recordações dos primeiros dias da "ferrugem".
A suspenção da frente tambem vai ser revista, mas hoje foi só desmontar para saber o que é necessário encomendar, escusando de mandar vir o material "ás pinguinhas"...
Cá estamos nós! Travões traseiros. Após desligar a bateria, podemos por o carro no ar. Não esquecer de desapertar as rodas com ele ainda no chão. Garantir que está bem escorado (o que não foi o caso de hoje, porque esqueci-me das perguiças...), e depois de tirar as rodas, a primeira coisa a fazer é desapertar os parafusos que seguram a polie no sitio (travão de mão aplicado). Usem uma chave "philips" larga para não os moerem, o que geralmente custa mais uma hora de trabalho...
O passo seguinte é destravar o travão de mão, e de seguida desafinar os calços. Usem sempre uma chave muito justa porque os "quadrados" dos afinadores derretem mais depressa do que julgamos. No caso estarem presos, usem WD40 para os ir "amaciando" e vão forçando para um lado e para o outro devagar. O mais importante é não moer os afinadores, senão há que substitui-los. Hoje tive sorte, estavam leves...
Sacar a polie...Por vezes pode ser necessário usar uma chave de fendas ou um martelo para o fazer, mas a força a aplicar só depende do bom senso de cada um. Lembrem-se que o material tem sempre razão...
Isto são os travões traseiros do Mini 1000.
Verificamos os bombitos, para ver se existem fugas de oleo. Neste caso estão perfeitos.
Retiramos a tampa do cubo com uma chave de fendas...
...e foi então que reparei num detalhe. A mola inferior dos calços estava mal montada. Não é grave, mas pode causar estragos se a mola partir.Com uma chave 24mm (15/16 pol) desapertamos a porca do cubo, depois de tirarmos o freio que a tranca no sitio. Atenção que as porcas do cubo são diferentes de lado para lado. A do lado direito aperta e desaperta como uma porca normal, mas a do lado esquerdo é precisamente ao contrário. Esta porca "esquerda" desaperta no sentido dos ponteiros do relógio...Detalhe curioso: O meu fiel amigo "pirolas" apareceu no teatro de operações para garantir que tudo corria bem. A julgar pela vontade dele, estava tudo calmo, calmo demais até...Já com o cubo tirado, o acesso aos calços fica facilitado.
Desmontar os calços traseiros do Mini:
1º passo: Com a mão ou com uma chave de fendas, soltar os calços dos afinadores...
Neste caso foi o esquerdo......depois o direito...Por esta altura já devem estar soltos em baixo tambem. É só puxar para fora......e já está.
Se houvesse necessidade, seria neste momento que substituiria o que estivesse gasto, mas hoje não é preciso trocar nada, apenas os tirei para montar a mola correctamente e aproveitei para fazer as fotos...Montar no sitio tambem é fácil. Com a mola inferior já no sitio e posição correcta( aquele bocado de mola deve ficar rente á haste do travão de mão e não a raspar no cubo como estava antes.), encaixamos os calços nos bombitos e no travão de mão simultaneamente. Nesta fase ainda não existe grande esforço para os montar.Com um dos calços alinhado e o outro fora do sitio, montamos a mola superior no calço que está alinhado. (ter em atenção que existem vários buracos nos calços, mas apenas um é o correcto...)Ainda com ambos os calços fora do sitio, montamos a mola no segundo e encostamos o conjunto ao prato de suporte......encaixamos o primeiro á mão sem deixar sair a mola do sitio......e com um pouco de força e habilidade......encaixamos o segundo. Pronto, já está. Verificamos se tudo ficou bem encaixado, se as molas e os calços estão firmes no sitio. As molas são montadas pelo lado de dentro dos calços para garantir que ficam encostados ao prato de suporte e que se mantêm dessa forma alinhados com a polie.Cubo de roda traseiro. Este trabalho envolve massa consistente, e como a máquina fotográfica não se dá lá muito bem com isso, apenas tirei as fotos que achei mais importantes.
Nesta estão os rasgos interiores que servem para batermos nos rolamentos para os sacar. Geralmente estão cheias de massa e não se veem, mas estão lá de certeza, e dão muito jeito...
Quando estão tapadas, o truque é descobri-las e limpá-las com um dedo...A referência dos rolamentos é esta. Neste caso são da QH, mas existem mais marcas, embora estes sejam muito bons......porque alem de bem feitos, o kit vem muito completo. Algumas marcas mandam apenas os rolamentos propriamente ditos, e depois é preciso o retentor, o freio, a massa, etc...Estes já trazem tudo.Cubo no sitio. A tal porca esquerda já está apertada. Apesar de existir um valor de aperto, opto sempre pelo aperto á mão. Forte, mas sem partir. Verifico se o cubo ficou justo mas a rodar á mão. No caso de rolamentos cónicos (VW, Renault, Opel, etc...) o aperto tem de ser feito com calma, porque se forem apertados com força demais, corremos o risco de partir os rolamentos, porque não teem limite de aperto. São apertados até desaparecer a folga da roda e ficam assim. No Mini é apertar com força até os rasgos da porca ficarem alinhados com o furo do veio, para podermos ontar o troço outra vez...
Ainda antes de montar a polie, podemos e devemos passar uma lixa nos calços para tirar o "vidrado". Não é preciso muita coisa, basta que fiquem com a superficie de fricção toda igual, sem marcas de travagem. O mesmo se passa para a polie. Lixá-la até ficar limpa.Antes de montar a roda, podemos "encostar" os calços á polie, para evitar de ter que o fazer com a roda no sitio, o que é mais dificil...Afinar os travões.
Este procedimento varia de pessoa para pessoa, mas o método que tenho usado nos ultimos anos tem sido o que tem dado melhores resultados, e penso ser o mais fácil. Basta fazer isto com calma.
Como desmontámos os calços, assim que a polie começar a ficar presa, é preciso puxar o travão de mão várias vezes para centrar os calços. tambem podemos carregar no pedal de travão com alguma força, mas neste caso não foi possivel porque tinha os travões da frente desmontados.
Depois de centrar os calços, desafinamos o travão de mão no interior do carro, ajustamos o afinador da roda até existir uma pressão de fricção na polie, mas que ainda assim se possa rodar á mão, embora com um pouco de esforço.De seguida montamos a roda no sitio. Aqui diferem as opiniões. Há quem defenda que os travões devem ser afinados sem as rodas no sitio. Eu penso o contrário. Os travões servem para parar as rodas quando estas estão no chão, logo a nossa sensibilidade deve ser feita nas rodas para calcular o esforço de travagem o mais correctamente possivel. Já exprimentei afinar sem as rodas montadas e achei muito mais dificil de sentir a afinação.
Bem, seja como for, o conceito é simples: os calços devem de estar o mais justos possivel ás polies, mas sem que haja excesso de fricção para não provocar sobreaquecimento dos travões (o que pode ser muito perigoso e dispendioso...), imaginem que o carro está no chão e que precisam de o empurrar á mão. Ele terá que rolar sem esforço. Dito isto, devemos apertar o afinador (tal como um parafuso normal...) até que a roda comece a ficar LEVEMENTE presa. É preciso ter em conta que os afinadores funcionam em quartos de volta, e que por vezes o ponto ideal fica entre as duas posições, ou seja, num ressalto está muito leve, mas no resalto seguinte já fica muito justo. É facil: deixamos sempre no resalto em que fica mais leve.
É um erro grave pensar que os calços "acamam" e que os podemos deixar um pouco mais justos. Para quem não tem assim tanta expriência neste trabalho, o mais provável é que vá correr mal. É preferivel deixá-los leves e afiná-los novamente passados uns quilometros.
Repetimos a operação para o outro lado. O ideal será ter sempre as duas rodas no ar em simultaneo, até porque a afinção do travão de mão é mais rigorosa.
No principio tivemos que desfinar o travão de mão para não interferir com a afinação do travão de pé ( tambem conhecido como travão de serviço), agora que temos as rodas prontas, vamos então afinar o travão de mão.
Ainda com as rodas no ar, e partindo do principio que rodam justas mas leves, vamos apertar os afinadores dos cabos de travão (junto ao travão de mão dentro do carro) até que as rodas fiquem muito justas no segundo "trinco". Temos que apertar os cabos conforme o necessário até que as duas rodas fiquem iguais em termos de fricção. Ao deixá-las muito justas ( a rodar somente se fizemos muita força) no segundo "trinco", vamos quase de certeza tê-las bloqueadas no terceiro. Se tal não acontecer, vamos apertando mais os afinadores até que fiquem bloqueadas no terceiro "trinco". Nunca apertar os afinadores com o travão de mão puxado. É obrigatório destravá-lo cada vez que temos que afinar mais um bocado.
Quando finalmente tivermos o travão afinado, devemos verificar se as rodas rodam livremente quando destravado. É uma questão de sensibilidade, mas em caso de duvida, é preferivel perguntar a quem sabe.
Espero que este post seja util, e em breve irei falar dos travões dianteiros.
RT

5 comentários:

isabel tiago disse...

Bom dia Senhor Mecânico

Até eu aprendi sobre travõaes e rolamentos traseiros. Tens que começar a cobrar.....

Tiago Santos disse...

Ai que jeitinho me vai dar este post quando estiver de volta dos travões da minha IMA....
Obrigado Rui

Gito disse...

Ja aprendi algo para experimentar no meu 1000 mkII ehehe

Obrigado e continua

paulo disse...

muito bom

Obrigado pelas explicações.

Anónimo disse...

E sangria? Como fazer a sangria?