sexta-feira, 17 de julho de 2009

A Petisqueira - Assim nascem as lendas...

O café - bar "A Petisqueira", através das mãos do Rui, Carmelinda e do David, tem vindo a animar as matinés de domingo aqui da Freguesia da Graça. Além de ser um espaço bastante agradável e animado, a intodução do Karaoke aumentou ainda mais a diversão que podemos encontar naquele ambiente...Apesar de ter o emblema do Benfica ao meio em vez do Sporting, as boas ideias não param de chegar, e desta vez o caso pode vir a ficar sério. Não sei bem quem foi o autor, mas decidiram, e muito bem, juntar algo mais ao karaoke. O tal "bom pretexto" para os tirar da garagem...Agora vejam no que deu...
Claro que a primeira vez é sempre diferente, mas o "Gringos", o "Blues" e o "Hard Rock" começaram precisamente assim, embora ache que não seja preciso chegar a tanto...
O pessoal foi aparecendo...
...e a pouco e pouco a coisa foi-se compondo...
...com algumas caras novas...
...e também uns "habituées"...
...vindos um pouco de todo o lado...
...e de várias maneiras. Este "triciclo" é o transporte oficial das grades de minis vazias, e tem que trabalhar bem...
Com o ambiente sempre em "alta...
...e as conversas bem animadas...
...a tarde passou mais depressa que um raio. O tempo é sempre curto quando é bom...
As motos também tiveram a sua festa na semana anterior...
...mas festa é sempre festa!!!
...embora dê trabalho!!! Aquilo não foi o record...
Moral da história: Se nos lembrarmos que estamos numa das zonas mais desertas do pais, e que a crise ainda anda por ai, podemos e devemos considerar estas iniciativas um êxito, mas também uma excelente forma de resolver vários problemas de uma vez, pois andamos de clássico, convivemos com os amigos, e relaxamos ao mesmo tempo.
Agora é continuar a aparecer, porque de certeza que isto não vai parar por aqui. Quem sabe se não começou mais uma lenda...
Atrevam-se a aparecer porque é realmente um espéctaculo!!!
RT

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Mini Clubman 1275 GT - Descansa em paz...

O titulo é algo mórbido, mas parece-me que mais uma vez, e com muita pena minha, se vai tornar realidade. Foi á uns dias que o Zé Mário me falou num Mini parado dentro de uma garagem que alguém tinha visto ali para os lados de Ansião. Fomos dar uma espreitadela......e encontrámos isto! Claro que "carro velho" que se preze tem que ser vandalizado, ou corria o risco de ser recuperado. Só é pena que quem faz este tipo de coisas á propriedade de terceiros nunca seja apanhado em flagrante. Sejam miudos (ou não...), é preciso relembrar que isto é destruir o que não lhes pertence......e foi sob o olhar atento de alguns vizinhos que me atrevi a entrar naquele espaço que ameaça cair a qualquer momento, e correndo o risco de ser acusado de invasão, as fotos lá vieram......e com um nó na garganta, fui vendo a história daquele 1275 aos poucos. A pintura cor-de-rosa, o motor na rua e a falta das jantes indicam que o carro estava para ser restaurado (ou coisa parecida...) até o dono se ter fartado dele, e segundo um vizinho que demonstrou estar a par da situação......o carro era para ser "preparado para o filho de fulano tal..." Reparem na chave ainda na ignição.... Já perdi a conta ás vezes que ouvi isto, mas apesar da expriência toda, ainda me custa ver acontecer, sobretudo nos dias de hoje......em que alegadamente a informação chega a todo o lado. Não deve ser assim tão simples...
Claro que o dono não vende, e mesmo que o vendesse, provávelmente já era tarde, embora ainda houvesse muita coisa a salvar...
Triste fim têm as coisas que já não servem, e neste caso mais não há a fazer de que dizer..., descansa em paz! É triste...
RT

Mini Cooper S - A conta-gotas...

Bom dia.
Com o Verão finalmente aí, os dias tem sido bem aproveitados de roda das "máquinas" que aguardam pacientemente pelos cuidados que lhes foram prometidos. É impossivel dizer que não me canso, e que por vezes até me apetecia parar um bocadito. O emprego a 75 km's de casa (só para ir...), os turnos rotativos, um puto com 4 meses e um telemóvel que não pára..., sinto-me como aquele fulano que tocava 7 ou 8 instrumentos de uma vez só, mas que mesmo assim parecia uma banda sinfónica...Nada que o gosto não supere, mas a custo...
De qualquer maneira não estou aqui para me lamentar, (até porque gosto do que faço), mas sim para vos deixar ao corrente do que se tem passado nestes ultimos dias. Com o Cooper sempre em primeiro plano, a pouco e pouco, os trabalhos vão ganhando forma, e já se começa a notar alguma coisa, embora o fim ainda esteja longe...
A verdade é que também gosto de ver as coisas bem feitas, e estou a tentar fazer tudo com o máximo de detalhe possivel...
...tentando não deixar escapar nada. Não é que ache que quanto mais se desmonta, melhor fica, mas de certeza que assim corro menos riscos de errar, e apesar de demorar mais, o resultado é sempre diferente......porque o pormenor sempre se vê......e são tantos......aparentemente não importantes, embora isso não seja bem verdade...Isto é a minha opção "caseira" para limpeza e tratamento quimico de algumas peças e parafusos. O frasco azul contém practicamante todos os parafusos que compõem o Mini, e apesar de os ter separado todos por grupos durante a desmontagem, tive que os reagrupar para decapar, e levar para a zincagem...
Para quem estiver interessado, aquela mistura é soda cáustica e água. É preciso ter bastante cuidado a manusear as peças que se metem lá dentro, porque os salpicos de alguma peça que caia lá para dentro de qualquer maneira magoam a sério, até porque é ácido...
Modo de preparação: Dentro do recipiente disponivel para o efeito, mete-se água até cobrir o que há para decapar, e lentemente e com as devidas protecções (óculos e luvas) vai-se juntando a soda (em granulado ou pó) até atingir uma mistura esbranquiçada e ligeiramente espessa. Depois de juntar as peças, podemos controlar o nivel de limpeza e capacidade de decapagem, e se estiver a demorar muito ou a a não decapar em condições, basta ir juntando mais soda, e mexer com um pau. NÃO SE PODE UTILIZAR ESTE SISTEMA PARA PEÇAS DE ALUMINIO. Ferro e plástico estão á vontade, mas o aluminio desaparece... Enquanto a soda trabalha para nós, a farra continuou na "mesa" de pintura. Uma tábua e os restos de um divã velho são o ideal para tratar do assunto, sem esquecer claro, a telefonia a ribombar os mix's, top's e discos pedidos de uma qualquer rádio local, com tudo o que isso implica......mas que nos ajuda a passar o tempo num instante...
...e até nos esquecemos de algumas arrelias do dia-a-dia.
Seja como for, o Cooper lá vai sendo reparado e montado com todo o gosto a atenção que costumo ter nestas aventuras, e apesar de nem tudo estar como eu gostaria que estivesse, a verdade é que lá se vai fazendo, nem que seja a...conta-gotas!
Até breve.
RT

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Jantes Cooper S - O bom, o mau o e o vilão...

Bom dia.
É a segunda vez que utilizo este título, e apesar não gostar de me repetir, achei que nada seria mais adequado ao que vos quero mostrar...O tema são as jantes de ferro originais dos Coopers S e a necessidade que os entusiastas ultra dedicados têm de as possuir...
O exemplo que se segue veio parar á minha mão na condição de roda suplente de um recém adquirido Mini, mas demonstra bem até que ponto algumas pessoas estão dispostas a ir, na busca da "originalidade suprema". Fanatismo para mim...
Esta é uma vulgar jante de ferro de 10 polegadas de um Mini, neste caso, o mau. Básica, simples e sem valor...

...que apenas serve para levar os carros á inspecção, ou em casos raros, manter o aspecto original...
Cunhada em chapa de aço, esta jante tinha quatro ventilações...

...e o aro era fixo por apenas quatro apoios. Simples, vulgar e banal...,tudo bem!Mas também havia isto: As jantes de origem dos Mini Cooper S ( o bom ). Além das várias larguras ( 3,5" ; 4,5" e 4,5" reverse rim), as principais diferenças eram os nove furos de ventilação e a espessura do material com que eram feitas......que apesar de não se notar, era bastante mais grosso, para suportar o torque extra dos motores 1275 dos S......e soldado em toda a volta para evitar a torção caracteristica das jantes "normais", fixas apenas em quatro apoios...Com o tempo, estas jantes tornaram-se raras, e antes de a MINISPORT e outras casas as replicarem, havia quem fizesse de tudo para as ter. Mesmo de tudo, ora vejam..."isto" apareceu-me numa jante suplente de um Mini que adquiri recentemente, e se á primaira vista parece um jante "S", também tem algo de estranho......porque apesar de um dos nove furos estar correctamente alinhado com o "pipo", algo não soava bem......e foi a parte de trás, vulgo, " que ninguem vê..." que revelou o segredo! Isto não é mais do que a vâ tentativa de alguem de transformar uma jante "normal" numa de um S ( o vilão ). Calculo que isto tenha sido excutado antes de as novas réplicas estarem disponiveis, porque o trabalho que isto deu a descravar, endireitar, furar, desempenar, soldar e pintar, não vale de certeza os 50 euros que elas custam novas cada......e apesar de não ter qualquer tipo de valor especial, resolvi conservá-la a fim de explicar a quem me perguntar quais são precisamente as diferenças entre as três coisas. É curioso verificar até que ponto estas "andanças" dos clássicos evoluem. O que antes podia ser considerado uma hipótese, hoje mais não é do que uma amostra de um passado recente, em que valia de tudo para ter um Cooper, mesmo adulterar jantes de ferro....

Tá giro...

RT

Nissan Sunny 1.3 (B11) - Morrer para viver...

Boa noite.
Com um título destes, o post mais parece a apresentação de um filme dramático, e se calhar até foi isso que aconteceu, porque afinal de contas, um carro teve que "desaparecer" para que outro continue "vivo"...
Confuso??? Deixem-me explicar: O Nissan sunny B11 do meu irmão estava a dar demasiados problemas de motor depois de ter apanhado diversos "escaldões" dignos do livro dos records. Juntas de cabeças foram mais que muitas, e a "pancada" de uma biela que martelava cada vez mais forte anuciavam o fim eminente. A juntar a isto tudo, havia ainda o efeito "cortina de fumo", sinal de que os segmentos já estavam para lá de arrasados...Vitima de uma reparação inviável, o Sunny precisava urgentemente de encontrar um "dador" de motor, que por acaso até já cá estava em casa, mesmo a contar com isto...
E aqui estava ele...
Do mesmo ano, este Sunny fez a sua ultima viagem aqui á minha porta. A carroceria apesar de não estar tão má como isso, já não merecia o investimento, e mais uma vez, a sentença foi lida...Um ultimo olhar sobre a estrada e a foto para a eternidade. Pela ultima vez na vida, estes dois partilharam o estacionamento...,e lado a lado, muito silenciosamente, os Sunny aguardavam agora pelo desfecho dos acontecimentos...Com a mesma honra do ultimo samurai, o Sunny castanho entrou pelos seus próprios meios no que seria o seu momento final, e, com grande orgulho pelo dever cumprido, a chave desligou-se para sempre...
別れ日産B11 (Adeus Nissan B11...)Já sem vida, a luta agora era contra o tempo. O relógio conta os segundos, e os segundos fazem horas...Apesar de ser fim-de-semana, o meu relógio nunca pára, pelo que todo o tempo disponivel tem que ser muito bem aproveitado......mas de nada serve se não perdurar para sempre. O momento Kodak do fds. Os manos Tiago mais uma vez juntos numa aventura de "transfega". Com a vida a avançar e com os tempos de "meninice" cada vez mais para trás, estas imagens vão-se tornando raras..., com grande pena minha...A vida dá-nos coisas muito boas, mas também nos tira algumas...Já inerte, e por ironia do destino, o castanho foi rebocado até á sua ultima morada pelo próprio "irmão" que ajudou a salvar......e aqui ficou! Obrigado Sunny......mas desenganem-se todos aqueles que pensavam que o pior já tinha passado. O azul ainda sofria de um mal que tinha que ser urgentemente reparado, e o relógio anunciava já a tarde de sábado......e ainda havia tanto a fazer......tal como as relas que "mataram" o outro motor......e que por pouco não mataram este também. Apesar de terem bom aspecto, as relas estavam todas podres, e o engano da medida das novas ia custando o fds todo, porque quando chegou a altura de as montar, não cabiam. Tivemos que apelar á imaginação, mas lá conseguimos dar conta do recado...
Continua a festa......e chega a vez de parar o coração do azul......o que significa um momento de grande ansiedade......se pensarmos que naquela altura tinhamos apenas dois montes de sucata sem valor nenhum, mas como disse uns post's atrás, esta espécie de "garagem" foi construida com a finalidade de transformar chumbo em ouro, e nós já tinhamos o chumbo......bastava apenas juntar alguma dedicação, gosto e alegria pelo que fazemos......que o ouro aparece!!!No meio de relas podres, distribuidores desafinados e demais contratempos, o Sunny azul voltou a rugir......e uma vez mais, a C.C.G. esteve presente num salvamento. Composta de muita boa vontade, algumas chaves de bocas e grande paixão pelo que fazemos, a C.C.G. lá vai merecendo algum crédito por parte de quem a conhece, e por parte de quem faz parte dela. No momento em que escrevo estas linhas, o Sunny azul já está estacionado numa qualquer rua incógnita de Lisboa, sinal de que tudo correu bem, com a responsabilidade acrescida de ter transportado em total segurança e conforto o meu sobrinho Diogo de apenas um mês de idade...
"Não há dinheiro algum que pague o podermos fazer aquilo que mais gostamos, na companhia de quem mais gostamos..."
Rui C. Tiago...