terça-feira, 27 de outubro de 2009

Mini 1000 - Não há remédio...

Bom dia. Ainda ás voltas com o 1000, fui tratar de encontrar uma cabeça para substutuir a velha. Como tinha aqui um motor do mesmo ano com uma cabeça igual (12H 1456), tentei a minha sorte......mas claro que não deu. Não sei bem quantos anos este carro esteve parado, mas os filtros de ar pequenos, que ficam mesmo debaixo da junção do capôt com a carroceria, e que não tenham a borracha de vedação montada, fazem disto...
jà não é a primeira vez que apanho isto. Em 1996, o meu primeiro Mini sofreu do mesmo mal. A água da chuva escorre pelo pára-brisas abaixo, entra na folga do capôt e vai cair mesmo em cima da porca que segura a caixa do filtro de ar, que tem o feitio de um pequeno funil. Demasiado conveniente e não se podia esperar outra coisa deste conjunto evidências. A àgua entra, enferruja as camisas, e repete as vezes que forem precisas até alguém interromper este ciclo de destruição...Não cheguei a tirar fotos da cabeça, mas o tubo de escape também é revelador. É mesmo impressionante ver o que é que faz o abandono. Os automóveis destroem a natureza, mas se lhe derem oportunidade, a natureza também lhes trata da saude...
As válvulas agarradas e a ferrugem nas condutas fizeram-me ir de novo á "caça" de outra cabeça, pois achei que apesar de ter toda a boa vontade do mundo, jamais iria ficar descansado se tivesse que usar a que saiu deste motor sem lhe dar a devida reconstrução. Amanhã já deve ficar resolvido de vez...
RT

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mini 1000 - Outra caixa de Pandora...

Bom dia.
Depois de um Domingo para esquecer, em que o Miguel nos pregou um susto daqueles ao dar uma queda na cozinha que felizmente não teve consequências graves, eis que chega a Segunda de manhã, com o Mini 1000 para entregar, mas com a junta da cabeça ainda para trocar....
Finalmente revisto de travões, suspenções e direcção, a afinação do motor revelou que o fumo azulado não era passageiro, mas mais do que isso, também comecei a recear o constante isolamento da vela do 3º cilindro, sobretudo porque estava a isolar com água. Sim, água limpa...Finalmente aconteceu! Ao fim de o limpar 3 ou 4 vezes, o cilindro começou a fazer isto. Muito ao jeito da fonte luminosa em Lisboa, cada vez que se dava á chave, o motor parecia uma máquina de tirar água. É caso para dizer: -"Temos problemas"...Com o kit de juntas a chegar só na sexta, deixei ficar a susbstituição para Domingo e decidi aproveitar o sábado com a familia, o que é mais raro do que um Mini que não pingue óleo...
Logo ao tirar a tampa de válvulas, confirmei de novo que este motor esteve de facto muitissímo tempo parado, e que apesar de já ter trabalhado um bocado, continuava a deitar muita porcaria cá para fora, só que desta vez, também estava a deitar vapor de água misturado com o óleo...
Quando substitui a bomba de água, tive o cuidado de deixar esta braçadeira nesta posição, e mal eu sabia que iria ser eu a desapertá-la...Agradeci a mim mesmo por ser precavido, e quem já teve que as desapertar quando estão mal montadas sabe do que falo...Ao fim de meia hora já se via o topo dos pistons, mas o bom aspecto da junta (em relação ao resto...) começou logo a fazer alguma confusão. Comecei logo a pensar no pior, até porque estava mesmo á espera de ver uma junta toda podre e ter a cabeça colada. Nada disso. Parecia que tinha sido posta a semana passada, o que é mau sinal...E foi aqui que tudo se desmoronou...Outra caixa de Pandora na minha baiuca!!! Já começa a parecer bizarro que tudo o que me aparece seja sempre pior do que o normal. De á uns meses para cá, parece que tudo em que mexo corre logo pelo pior, que nunca consigo dizer que foi fácil. Sem dúvida que gosto de desafios, ma hoje queria mesmo só trocar a junta e entregar o carro á dona. É o ultimo projecto "não meu" que anda por aqui e queria ir trabalhar descansado, mas não, não foi bem assim...E acreditam que é a primeira vez que vejo algo deste género num Mini? Já tirei não sei quantas cabeças de Mini, mas nunca apanhei nenhuma estalada desta maneira. É comum racharem entre as sedes, mas sem passar água, agora rachar naquele sitío...Granda cena!!! Bom..., não adianta ficar a moer no assunto, é preciso é resolvê-lo.
Depois dou noticias.
RT

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Mini 59-69-79...

Boa noite.
O meu quintal hoje esteve muito curioso. Ao estacionar os carros para a foto, reparei num detalhe engraçado. Estavam dispostos por datas, mas em espaço de dez anos de diferença, ora vejam...Uma foto engraçada, mas que ficava melhor se fossem 30 ou 40 carros seguidos, até o ultimo não se ver...E eis os tais: 59..., 69...,e 79! De dez em dez, estes minis chegaram todos a 2000...e n0ve!!!O oito e meio já anda com os sapatos "novos", mas só para ir á vila, é que depois de 15 anos parados e sem rasto, os pneus parecem bombas relógio a jeito de explodir. Seja como for, já tenho um 850 com umas "SPEEDWELL", e o resto é conversa...
Só para desanuviar...
RT

sábado, 17 de outubro de 2009

Jantes de Mini - O bicho não pára...

Boa tarde. Como já todos sabem, tenho uma colecção de jantes Mini de 10 polegadas, e por muito estranho que pareça, até chego a ter jogos repetidos, mas o facto é que sem saber bem porquê, ainda não consigo dizer não a este tipo de coisas... Os negócios acabam por me aparecer mesmo sem eu procurar, mas claro que fico feliz da vida com isso. É sempre dinheiro empatado, só que, como qualquer Minista sabe, umas "SPEEDWELL" são sempre bem vindas...
Claro que não estão novas, mas também não é importante...O que realmente interessa é que, a partir de hoje, a minha colecção ficou maior, embora não saiba bem para quê...
Deve ser algum tipo de "gripe das jantes"...
RT

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

C.C.G. - De volta á estrada...

Boa tarde. Grande ausência esta de mais de um mês, mas acreditem ou não, estava realmente a precisar. Não foram férias, mas algo parecido, pelo menos a nivel de projectos, pois o emprego está igual e o Miguel "canta" cada vez mais alto e mais cedo...
Reconheço contudo uma grande falha minha, o Cooper foi embora e não vos mostrei nada. Acreditem que não tive tempo nem energia para o fazer, pois já estava tão cansado que não sei como aguentaria mais um dia. O tempo, sempre esse maldito..., fez com que o "ouro" não estivesse tão brilhante como eu gostaria, porque apesar de pronto, o Cooper podia ter ficado mais perfeito, mas vale-me a hipótese de um dia o poder melhorar, mas isso só depende do tempo, outra vez...
De qualquer maneira, este post era mais para vos dizer que ainda estou vivo e que ainda moro no mesmo sitio. Os rumores de que viagei para o Hawai são apenas isso, rumores... Claro que o facto do meu computador ter queimado mais uma "junta de cabeça" também ajudou a demorar tanto tempo para actualizar as noticias. Só para se rirem um bocadito, fiquem a saber que tenho as fotos do Cooper "perdidas" no meio de outras 15 mil e tal...
É verdade, fazer DVD's de vez em quando pode realmente salvar muita coisa. Os meus parcos conhecimentos de informática vão eternizar esta tarefa Hérculea de gravar tudo, mas enfim, somos novos...Ainda a cheirar a queimado de cada vez que dava uma volta, o Cooper ficou muito giro, talvez até demasiado giro para quem não tem limite no pé direito. A caixa curta e o elevado binário deixam-no "cair" para 40 km/h em quarta e recuperar "na boa" até acabar...Nice!!!Este trabalho também me abriu novos horizontes. Fez-me ver que a minha vida está de facto diferente. O novo hórario de trabalho, a nova localização e instalações, tornaram algo relativamente fácil em algo incrivelmente dificil. A realidade da vida do campo é mesmo essa, ser no campo. O acto de comprar um parafuso em polegadas pode tornar-se numa cruzada infinita pelas poucas e bastantes dispersas casas de material da zona, e pode transformar uma saida de meia hora numa questão de horas. É preciso pensar tudo com antecedência...
Não é apenas uma questão de dar um passo maior do que a perna, é mais o não saber onde é que estamos a por o pé...
É a vida em todo o seu esplendor...Mas entre mortos e feridos, o Cooper lá foi para Lisboa, e apesar de todos os meus esforços em fugir deles, os Minis continuam a "rondar" a baiuca. Já me vieram com a conversa de reconstruir mais um...Antes que dissese que sim, enchi a baiuca com os MEUS projectos para me relembrar constantemente que tenho que fazer até o Miguel terminar a licenciatura...E por falar em Miguel, também está na hora de passar algum tempo com ele ser estar sempre a cheirar a óleo. Claro que já o pus a conduzir o meu 850 (tem que começar por baixo...), e a julgar pelo sorriso, ia a delirar. É verdade, apesar de não ser recomendável, o Miguel já conduziu ( só o volante é claro...) o 850 a 10 km/h no dia em que fez seis meses...Nem se podia esperar outra coisa, pois não???
Mas "bicho do mato" é sempre "bicho do mato" e claro que não consigo ficar 100% quieto. O meu Clio estava a precisar de umas "caricías" de mecânica, e deixei-me embalar...
Já viram aquelas jantes??? São do Clio S, e achei que tinham potencial...Sim!!! Ainda há quem faça isto. Tal como nos saudosos anos 60 e 70, arranjei outro jogo para exprimentar e ensaiar um toque de "old school" no Clio.Toda a gente tem jantes de aluminio, toda gente tem jantes do Clio S, mas poucos têm disto......não acham??? No principio custou-me ver isto, mas depois do torno começar a rodar, já nada o faz parar...Ainda não sei se vai resultar, mas que parece outra coisa, parece. Os pneus a montar serão uns generosos (para Clio...) 195/60-14, e se ficarem dentro dos guarda-lamas, irão com certeza fazer uns km's cheios de estilo...A cor final ainda está em aberto, mas o branco e a combinção centro em preto/aba cinzenta lideram as hostes.
Classic Car Garage, um mês e tal no estaleiro, mas agora é de vez. No meio do caos, do cansaço e duma interminável sede de construir, uma coisa é certa, estamos de volta á estrada!!!
O meu grande obrigado ao Sr. José Mata pela sua escolha e preseverança nos meus préstimos. A sua atitude permitiu-nos momentos de grande prazer, aprendizagem e orgulho em poder realizar um projecto com estas caracteristicas. O seu carro tornou-se numa importante referência da história da Classic Car Garage e não só...
Obrigado pela paciência, simpatia e generosidade com que nos presenteou, e faço votos de poder acompanhar e melhorar o Cooper sempre que necessário.
Um Abraço: Rui Tiago