domingo, 7 de setembro de 2008

Pedrogão Grande - O primeiro "raid" do 1000...

Hoje foi dia de estrear o 1000 nas estradas de Pedrogão. Apesar de já ter chegado na quarta-feira, só agora foi possivel dar um passeio mais descontraido pela zona. Decidimos levá-lo ao café depois de almoço...
Á saida de casa ainda não havia destino... ...nem foi preciso. Acabamos por ir direitos a Pedrogão, mas "perdemo-nos" pelo caminho...

...acabando por descobrir esta maravilha de estrada de serra que nos leva á localidade de Torneiro...

...e nos deixa com uma sensação de liberdade tão grande...

...que só nos apetece lá voltar. Esta casa parece estar num vale fundo e isolado, mas na realidade está perto de uma estrada e a 4 ou 5 quilometros de Pedrogão Grande. Sossego e proximidade q.b. num só...

...já na localidade de Torneiro, começaram a aparecer as imagens do dia. Nem só de carros vive a C.C.G., as coisas simples da vida tambem fazem parte dos nossos gostos...

...e temos muito orgulho e prazer em partilhá-las com todos. Quem sabe o que esta carroça já terá acartado naqueles dias frios de inverno, onde nem com o gelo a cair nas costas, se podia deixar de trabalhar para comer...

...mesmo que isso, mais não seja do que parte de um passado, que alguns teimam em não deixar morrer...É pena ver o que tanto custou a fazer e a conseguir, desaparecer assim desta forma tão injusta...

Pedra por pedra, esta casa foi feita á mão, sem o acesso a coisas tão simples, e no entanto tão importantes, como a luz eléctrica, ou os carros "a motor" de que hoje tanto dependemos. Se hoje é dificil ter uma casa, imaginem naquela altura, quando ter uma casa significava madrugadas a pé para ir com os animais ás pedreiras carregar as pedras, enquanto o serrador cortava uma tábua grossa para fazer uma ombreira para mais uma porta ou janela...
Infelizmente, a casa da foto não é especial sob nenhum aspecto, apenas aparece por trás do Mini, mas a verdade é que casas neste estado abundam por aqui, sinal de que as pessoas já cá não moram, sinal de que o tempo continua a fazer o que faz melhor: ajudar a esquecer...
Quem sabe se um dia casas como esta se tornem de facto especiais, talvez por terem sido reparadas ou talvez por terem desaparecido de vez...
A estrada acabou por nos levar até Pedrogão Pequeno, onde decidimos visitar a zona antiga e enfiar por esta rua......que nos levou a um lugar que não lembra a ninguem......e que de certeza já provocou a admiração de muita gente. Como é que é possivel ter algo assim, aqui tão perto de casa? Para quem morou 20 anos ao lado da Calçada de Carriche, isto é sem duvida uma grandissíma mudança...-"Vamos ver onde vai dar?" Claro que vamos......até porque o cheirinho a mato e a flores está a despertar a curiosidade......do que estará por trás desta curva tão peculiar......a que se segue logo outra não menos espectacular. É sempre a descer......e os SPAX não estão a ajudar muito. A estrada de calçada está mais indicada para jipes, ou na melhor das hipóteses, a um Moke. Um carro rebaixado e rijo não está no seu ambiente natural, mas a paisagem compensa isso tudo......não acham??? A natureza sabe mesmo como nos surpreender......mas o trabalho humano tambem pode ser impressionante. Isto é uma das muitas pontes que compõem o traçado do IC8, que neste local atinge a marca dos 100 metros de altura......mesmo por cima do rio Zêzere......que esta antiga ponte Filipina atravessa......sem incomodar as frescas águas......que vão descendo o vale até chegarem á barragem de Castelo de Bode.Parece pequeno? Multipliquem por 10 e estarão perto do que realmente sentimos naquele sitio......onde mal se ouvem os carros que passam velozmente por cima de nós......suportados apenas por dois destes pilares, que apesar de serem feitos em betão, parecem tão frágeis vistos daqui......mas não deste angulo. Afinal nem só pilares alcançam os nossos olhos. Vales imensos......de imponente constituição e extrema beleza......tambem fazem parte deste cenário. Aqui já na outra margem, podemos admirar o que não se vê a 120 km/h do IC8. Uma casinha singela no meio de lugar nenhum......o reflexo do céu no rio......ou mesmo a quantidade de serras e montes que nos rodeiam......assim como estes detalhes. Este miradouro em madeira é um espectáculo, porque daqui se vê tudo o que acabei de vos mostrar, mas tambem tudo aquilo que a máquina não consegue fotografar.
Fomos andando para cima, e começámos a ouvir uma musica de banda......que nos guiou até esta procisão no alto da serra, que decorria calmamente até surgir um Mini vermelho do meio do nada. Tivemos que estacionar rapidamente e de qualquer maneira, ou corriamos o risco de nos tornar no centro das atenções. Desconhecemos a causa da festa......mas o numero de pessoas presentes revelou-nos que seria algo importante, relaccionado com uma celebração religiosa......assiciada a uma Santa.Após tanta euforia, decidimos apontar os farois na direcção de casa, mas não propriamente a direito. Ainda havia tempo para mais umas explorações pelo caminho, nem que fosse para um gelado......ou um banho se tivessemos vindo prevenidos. Bem-vindos á Praia Fluvial do Mosteiro. Se vos parecer um espectaculo, é porque é mesmo......um sitio espectacular......para descansar, dar uns mergulhos ou apenas tomar um café. Só ou acompanhado, o importante é vir e conhecer, mas tendo em atenção os horários dos estabelecimentos. O café que funciona aqui no "Mosteiro" está aberto apenas entre Junho e o fim de Setembro, das 10:00 ás 20:00.A tabuleta anuncia o fim do passeio, mas tambem nos trouxe á memória o facto de termos vivido toda esta tarde magnifica aqui neste sitio, mesmo ao lado de casa. Já morámos a cinco minutos do C.C. Colombo, agora moramos aqui..., no concelho de Pedrogão Grande.
RT

1 comentário:

isabel tiago disse...

Eu também gostava de lá estar...que inveja....