sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

30 de Novembro de 2010. E tudo a neve ia levando...

Bom dia. Como já devem ter reparado, o frio parece ter chegado em força nestes últimos dias, com temperaturas bem baixas, e em alguns casos, trouxe com ele bastante neve e gelo também...
Por morar perto da Serra da Lousã, e por saber que até costuma lá nevar, decidi convidar o David e ir ver com os meus próprios olhos. Passámos a Castanheira de Pêra (que também é lindíssima no Verão...) e apontámos á serra. O nevoeiro e a chuva só fizeram aumentar o nível de alegria que eu estava a sentir por poder fazer aquilo assim, tão simples, tão fácil, tão perto...
Adoro conduzir, e de preferência em situações "não normais", pelo que este cenário já estava a fazer lembrar o clássico "Monte", e para ser mesmo perfeito, só faltava o Mini, que tinha ficado em casa desta vez. De qualquer forma, a ideia era ir só ver...
O ultimo olhar á máquina , para ter a certeza que estava tudo bem antes de começar a subir. Deixem-me lembrar-vos que este Corsa é carro do dia-a-dia, sem qualquer tipo de preparação ou modificação, que nem pneus de neve tinha montados, e muito menos correntes. Iríamos só até ao limite do razoável, e tendo em conta o frio e chuva que caia na altura, não iríamos demorar assim tanto, até porque queriamos ir tomar um café quente á Castanheira de pêra antes do anoitecer...
Não demorou muito a constatar que tínhamos de facto neve pela frente, e não me cansava de repetir ao Dave que estava mesmo a curtir o passeio, que após uma noite de trabalho aborrecido, sabia mesmo bem um pouco de aventura...
A foto da praxe! A Primeira neve da época!
Serra da Lousã, junto ás antenas da RTP. Frio, nevoeiro e vento moderado...
Nesta altura comecei a pensar em quantos de vós que lêem estas linhas não gostariam de participar num rallye neste sitio, com estas condições? Tenho a certeza de que não ficaria atrás de nenhum "Monte-Carlo", embora dentro da sua escala é claro...
A prova que nunca me esqueço dos meus leitores. O logo da C.C.G. significa que, naquele momento estava e pensar em mostrar-vos isto, e que de certa forma, também vós estavam ali representados. E estou e falar a sério acerca do rallye na neve. Se houver feedback suficiente, garanto que começo a ponderar melhor o tema...
Largámos o passeio fácil e tentámos escalar a serra até ao local de Sto. António das neves, mesmo lá no alto...
Claro que para um Corsa A isto já representava um grande esforço e até mesmo um pouco de sorte, poque o gelo já se notava demais...
...e acabou aqui. Pela estrada normal já não íamos lá. O carro chegou até aos fim daquelas marcas (aliás, foi ele que as fez...), mas cada vez que tentei arrancar, ainda que com muito "jeitinho", o Corsa só descia, e comecei inclusive a ter duvidas se o conseguiria segurar caso ele decidisse simplesmente ir por ali abaixo. Travado e engatado, mas ainda assim deslizava. Que fixe...
Com o carro a responder bem e a ousadia do nosso lado, decidimos tentar esta estrada paralela, que por ser de terra batida, tinha muito mais aderência, e a julgar pelas marcas no chão, não éramos os primeiros a tentar.
E foi aqui que tudo aconteceu! No alto desta subida, bem lá no alto aliás, o Corsa começou outra vez a patinar e, ao tentar embalar para chegar á estrada de alcatrão lá em cima, ouvimos um "assobiar" característico e quase instantaneamente o vapor de água começou a sair por toda a zona do capôt. Acabávamos de estoirar um tubo da soufagem (visto mais tarde), apesar da temperatura do motor nunca ter subido acima do normal. Infelizmente não tirei fotos dos dez minutos seguintes porque de repente tudo mudou, e a nossa segurança estava em causa e não consegui pensar noutra coisa que não fosse sair dali para fora. Na altura de abrir o capôt para ver o que se tinha passado, começou a nevar tanto e com tanta força, que as nossas próprias marcas dos pneus desapareceram quase imediatamente, e com um motor parado, sem rede nos telemóveis devido á influência do sinal das antenas, fora da estrada "normal" do publico (que também não havia de qualquer forma...) e sem termos avisado ninguém que íamos fazer aquele passeio, achei que corríamos o risco de ficar presos ali, sem que alguém soubesse ou pudesse fazer algo acerca disso. Não sabia quanto tempo iria durar o nevão que caia tão intensamente e decidi não arriscar mais a sorte. Sem motor, com os vidros cheios de neve e a estrada cheia de gelo e praticamente irreconhecível, não havia mais nada a fazer: ou íamos a pé, ou descíamos com o Corsa de marcha atrás por ali abaixo, correndo o risco de o enfiar dentro das valetas cobertas de neve. Fosse como fosse, tínhamos que o fazer depressa...
Lembro-me de ouvir o Dave dizer algo do género: "Não querias aventura? Ora ai a tens..."
Limpei o vidro de trás com a mão, saltei lá para dentro, e destravei o carro...
Os km's seguintes foram feitos de marcha-atrás, ligando de vez em quando o limpa-vidros para poder ver a estrada, sempre a pensar como é que ia virar o carro para baixo, se nem a estrada via bem. Lindo...
Por sorte ou não, conseguimos chegar á estrada de alcatrão de onde tínhamos saido, e aproveitando o balanço da descida, ainda teríamos que transpor a vala que nos separava, correndo o risco de ficar ou dentro da vala cheia de gelo, onde mesmo pondo o motor a trabalhar não sairia, ou ganhar demasiado balanço e passar por cima da estrada de alcatrão a deslizar e estacionar na valeta do outro lado. Tínhamos uma única oportunidade de fazer a manobra bem feita...
É nestas alturas que todos os piões, drifts e demais habilidades com os carros se tornam úteis. Não foi assim tão difícil embalar, dar um "toque" de volante e travar com força para arrastar a frente para o sitio certo. "Se já o fiz tantas vezes, porque é que falharia agora???". Não falhei. O carro alinhou mesmo certinho com a estrada, e continuamos a descer com o motor parado, mas agora de frente para baixo. Menos mal...
A foto em cima já foi tirada muito mais cá para baixo na serra, com o nível de stress muito mais baixo, e onde já nem sequer nevava, e acreditem meus amigos, que se agora parece fácil, na altura tive sérias dúvidas se não teríamos um problema grave entre mãos...
Felizmente tudo correu bem, mas ainda faltava reparar o Corsa. Um tubo da soufagem e um "T" de plástico tinham "desistido da corrida", e foi preciso improvisar. A água veio de uma poça ali perto...
...e os tubos foram tapados com as velas suplentes que andam na mala de ferramenta que está SEMPRE dentro do carro. Molhados, frios e sem aquecimento dentro do carro, lá conseguimos chegar á Castanheira, onde um acolhedor bar com lareira acessa nos retemperou as forças...
E era praticamente de noite quando chegámos a casa sãos e salvos, apesar do susto que apanhámos. É óbvio que depois disto tudo até achamos piada ao sucedido e já se fala mesmo em repetir a dose, até porque já substitui todos os tubos de água do carro, e até arranjei uns pneus mais aptos para o serviço.
Ainda assim há algo que não me sai do pensamento: Se foi assim tão divertido sem sequer ter sido programado, como será se for feito com viaturas minimamente preparadas e com pessoal que goste tanto disto como eu? Será que há por ai quem se atrevesse a participar numa prova deste género? Não sei, fico á espera que vocês, leitores deste blog, me digam algo...
Rallye na neve? Que tal???

Um abraço, até breve, e se puderem, não se metam nestas alhadas com tubos ressequidos...

Obrigado.

RT

3 comentários:

Anónimo disse...

Pois é, Rui, passas aqui na Castanheira de Pera e não me chamas para essas aventuras. Temos é de ir repetir mas de Mini...

Abraço JM

isabel tiago disse...

Bom dia Rui

Escusado será dizer que percebo bem o que sentiste naqueles momentos!!! Quanto ao Dave não sei se ele se assustou a sério mas parece-me que ele confiou nas tuas opções!!!
Que grande cena!!! olha se eu estivesse lá??? também já apanhámos o início de um nevão na Serra da Estrela e é asustador!!!
O que importa é que se safaram desta!!!
Gostei das fotos e para ser sincera também gostava de lá estar!!!
Isabel Tiago

Anónimo disse...

Ganda maluco gajo!!!

Essa foi uma aventura daquelas que eu não me importava nada de tê-la passado contigo!

Já tenho saudades de umas aventuras e de uns "enrrascanços" que passamos sempre a rir que nem uns malucos.


Abraço
Agárramos