quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Mini - Reparação das bombas de embraiagem.

Bom dia. A musica... 

http://youtu.be/rMltoD1jCGI

A embraiagem do Mini é um assunto tenho tentado mostrar em detalhe, mas enquanto não surge a oportunidade de o fazer em condições, aproveito para vos mostrar um outro aspeto da embraiagem que nem sempre é conhecido: As bombas principal e auxiliar do comando hidráulico da embraiagem. Existem vários sintomas que podem indicar uma falha neste sistema, desde fuga de óleo ou um pedal anormal (muito rijo ou muito macio), ou ainda como neste caso, falta de pressão progressiva, que obrigava o Mini a arrancar, mesmo que o pedal estivesse todo em baixo. Por norma, quando isto acontece, pode significar que existe uma fuga de óleo no circuito, e o melhor a fazer é começar por verificar o mais simples: A bomba auxiliar!
Situada por cima da tampa da embraiagem, esta bomba é de facto muito simples de reparar, e mesmo que não esteja a verter...
...a queimadura da tinta do motor indica que algo não está bem. O óleo da embraiagem (igual ao dos travões - DOT4) é abrasivo para a pintura, mas é facilmente removido com água.
Ainda antes de desmontar, os sinais eram evidentes. se já não está, pouco falta...
Começamos por tirar a mola de recuperação...
...e podemos desapertar estes dois parafusos chave 9/16" (14mm) que fixam a bomba...
...e confirmar as suspeitas. Vamos reparar o que for necessário...
...e podemos desde já desapertar o tubo de metal na saída da bomba principal. Não é de todo necessário que o façam, mas uma vez que também pretendo tirar  a bomba central, escusa de ficar a pingar óleo até esvaziar o depósito. Para evitarem de tirar o tubo, basta tapar a outra extremidade...
...que fica aqui, onde liga ao tubo flexível. Reparem na chave própria para tubos de travão/embraiagem. O anel é cortado para poder passar o tubo, mas o contacto com a porca é o maior possível, para evitar moer o sextavado. Podem usar uma chave de bocas normal, mas tentem não arredondar a porca, ou aumentam consideravelmente o tempo de reparação, já para não falar no mau aspeto que dá uma porca toda marcada do alicate de pressão.
Já com o tubo de metal fora, desapertamos a porca que fixa o de borracha á carroceria... (chave de caixa 24mm.). Por esta altura já podemos tirar o tubo do sitio...
...e com a bomba presa ao torno, podemos limpar a ferrugem do cilindro o melhor possível...
...seguida do freio...
...e com a ajuda de um pano, podemos então bater o necessário...
...para esvaziar o interior da bomba. Podem usar o ar comprimido no tubo para fazer isto, mas tentem não perder o piston e muito menos magoarem-se ou magoar alguém. Se o piston estiver preso, a pressão do ar pode fazê-lo sair com bastante força, e acreditem que pode aleijar... Caso o queiram fazer, virar a bomba para baixo é de certeza uma boa ideia...
Com ou sem ar, é isto que queremos ver. O piston, a borracha e a mola.
A borracha 7/8"...
Com a bomba vazia, podemos passar uma lixa média...
...e uma fina, até...
...ficar mais ou menos assim. O interior da bomba deve estar liso e sem marcas de espécie alguma. se não for o caso, substituam a bomba ou vão ter uma fuga em breve...
Kit de borrachas novas...
...e apesar de não ser assim tão óbvio, a borracha velha (esquerda) já tem as arestas bastantes arredondadas, o que é sinal de desgaste típico do uso...
A montagem é inversa, e caso possam, montem a borracha com lubrificante. Eu gosto de usar este, mas vaselina ou o próprio óleo de travões também servem. Massa consistente ou óleo de motor não são opção...
Tudo montado e pronto para ir para o sitio, mas antes...
...aproveitem para verificar isto. Sem a bomba e a mola no sitio é bem mais fácil perceber se existe folga entre o parafuso e a haste. Existe um valor exato para esta folga, mas desde que tenha 1 mm já fica bem. Montamos a bomba auxiliar e passamos...
...para a bomba central da embraiagem. (direita na foto) Nota: Apesar de aspeto semelhante, as bombas centrais dos travões NÃO são iguais ás de embraiagem. Se não tiverem uma bomba central de embraiagem, não tentem usar uma de travões. Vai ficar montada com a tampa para a frente, a bater na outra, mas pior do que isso, o funcionamento interno não é igual. A bomba central da embraiagem é de actuação simples e é precisamente isso que devem usar...
Podemos então começar por desapertar as duas porcas de fixação e o tubo...
...e depois a cavilha do pedal. Para quem nunca fez isto, esta parte pode ser uma verdadeira dor de cabeça, mas com calma tudo se faz. Tem que se tirar o freio da cavilha e depois puxa-la para fora. É simples, mas se a cavilha estiver calcinada ou o freio não quiser sair, a falta de espaço e a posição incomoda podem fazer "saltar a tampa" com facilidade. Um alicate de pontas, um pouco de WD40, uma gambiarra e...,  musica da boa. Quando sai bem é uma maravilha, mas quando começa a "embrulhar", o melhor é pararem um bocadinho, respirar fundo e pensarem que há coisas bem piores na vida do que tirar uma cavilha. De tudo o que existe de complicado e difícil no Mini, isto pode estar no topo da lista. Tentem não stressar demasiado, porque depois da cavilha sair, tudo se torna bem mais fácil...
Bomba no torno, guarda pó virado ao contrário e ...
...já está! Freio cá para fora...
...veio solto...
...duas pancadinhas e está feito! Já chegamos a meio do caminho!!!
A causa disto tudo! Um corte na borracha deixava escapar o óleo do circuito de pressão, e embora não pingasse para dentro do carro ( existe uma segunda borracha que veda o óleo em caso de falha desta), era o suficiente para que a pressão baixasse na bomba auxiliar e tivesse o mesmo resultado que tirar o pé do pedal. Com uma mudança engatada, ao fim de uns segundos com o pedal da embraiagem em baixo, o Mini começava a andar, e claro que se pode tornar complicado em certas situações, especialmente em filas de trânsito ou a estacionar. Limpa-se tudo como deve de ser...
...montam-se as borrachas novas no sitio e repete-se tudo pela ordem inversa.
Sangrar o circuito é fácil, basta "injectar" (carregar no pedal repetidamente), depois carregar a fundo, abrir a purga da bomba auxiliar (com o pedal sempre no fundo), deixar sair o ar e o óleo, fechar a purga (só depois é que se tira o pé do pedal) e repetir a operação até que saia só óleo e o pedal ganhe a pressão normal. Os salpicos do óleo da embraiagem lavam-se com agua abundante.
Verifiquem o nível de óleo no deposito da bomba (cheio até ao cimo) e já está.
Mais um Mini pronto para a estrada!!!

Obrigado

RT

Sem comentários: